sábado, 18 de abril de 2015

RELATO DO PARTO NORMAL HOSPITALAR COM ANESTESIA E LACERAÇÃO:

Pessoal, vim aqui contar como foi o meu parto normal, que muita gente me pediu (se preparem porque é longo e cheio de detalhes):


Lembram do post de 39 semanas? Quem leu/assistiu o video viu que naquele dia eu já tinha sentido umas contrações leves de manhã e a saída do tampão. Só que achava que ia demorar uns 2 dias ainda. Que nada! Entrei em trabalho de parto naquele dia mesmo, de noite (entrei na verdade nos Pródromos do parto).

Acordei naquele Domingo do dia 29 de Março de 2015, as 6h da manhã com umas cólicas estranhas acompanhadas de um endurecimento leve na barriga. Percebi que era endurecimento porque estava deitada de lado e durante a contração me virei de barriga pra cima e a barriga ficou toda inclinada dura pro lado que eu estava virada antes. Eu que não sabia se já tinha sentido alguma contração antes, tive certeza naquele momento que nunca eu tinha sentido isso, que aquilo era uma coisa nova e só podia ser contração, pois era acompanhada de dor e barriga dura. Mas era leve, bem leve, parecia uma cólica menstrual leve. Tive 3x isso e parou. Fui no banheiro e vi o tal do tampão sair, tinha o tamanho mais ou menos de uma moeda de 5 centavos, bem pequeno, e bem gelatinoso, inconfundível gente. Não se parece em NADA com alguma secreção normal.

De tarde almocei, recebi visita da minha tia e comentei o que senti, ela ainda me falou “se você está com cólicas então deve nascer logo”. Mas eu ainda achava que podia chegar a 41 semanas (hellooo? Aloka).

Após o almoço, senti mais contrações doloridas, mas espaçadas, e elas foram se tornando presentes esporadicamente ao longo do dia. As 19h resolvi começar a medir as contrações, e fiquei já surpresa ao ver que as contrações estavam vindo certinho de 10 em 10 minutos. Ainda bem tranquilas, mas eu precisava me encolher um pouco a cada vez que vinham. Fui no banheiro, e ao passar o papel levei um susto! Um tampão GIGANTE, tipo do tamanho de um limão, bem volumoso e meio vermelho, saiu no papel. Juro que me assustei, pois achei que ja tinha saido tudo de manhã. E pensei: se saiu isso tudo aqui de uma vez eu devo estar com mais dilatação do que a última vez que eu vi. Fiquei feliz.

Ainda em dúvida de quanto tempo isso duraria, lembrei dos relatos de pessoas que vão pro hospital e ficam horas e horas sem comer e nem beber nada. Pedi então pro meu namorido buscar na AMPM do posto perto de casa uma caixa de bis branco (estava com muita vontade, devia ser meu corpo pedindo açucar pra se preparar), 2 pães de queijo e 2 latas de suco. Tudo +- de facil digestao e bem calórico, pra aguentar.

Fomos dormir, ou tentar dormir. Até consegui pegar no sono algumas vezes, mas sempre que vinha uma contração a cada 10 minutos, eu acordava. Quem consegue dormir assim? No meio da noite, a contração começou a ficar dolorida mesmo, a cada uma que vinha, eu tinha que sentar na cama e me concentrar – é IMPOSSIVEL aguentar a contração deitada, doi muito mais!
Aí eu resolvi medir lá pelas 3h da manhã as contrações e vi que estavam vindo já a cada 5 minutos. Minha obstetra havia me orientado a ir para a maternidade apenas quando tivesse de 3 em 3 minutos +-.

Fui tomar um banho quente (dizem que ajuda a dilatar e diminui a dor), fiquei cerca de 1 hora no chuveiro e aproveitei pra me depilar hahaha. Pior que durante o banho todo as contrações pararam – e achei que demorariam horas pra reaparecer. Mas meia hora depois de sair do banho elas voltaram, bem quando eu estava tentando dormir.
Não aguentei as dores deitada e fui pra sala sozinha, no meio da noite, com meu cachorro. Ele estranhava meu comportamento e choramingava ao me ver com dor.

Comecei a fazer posições que aceleram a dilatação (agachamento, um pé sobre o sofá e agachar, ficar de cócoras e balançar, etc) sempre que vinha uma contração. Tinha lido na noite anterior sobre essas posições ajudarem a dilatar – o que deixaria o parto mais rápido. Percebi que as dores eram mais suportáveis quando eu fazia esses exercicios. Caminhar durante a contração também era muito bom. O que não dava era pra ficar parada!

Fiquei na sala, no escuro e no silêncio, de pés descalços no tapete peludo fazendo muitas posições, respirando fundo e me mantendo relaxada. Gente, se manter relaxada durante a contração é quase impossível pois eu ficava dura e tensa da cabeça aos pés cada vez que vinha a contração. Eu devia estar esquisita pois meu cachorro começou a latir para mim e tentar subir na minha cabeça (eu estava sentada no chão encostada no sofá).

Como é a dor? A dor é mais ou menos como uma cólica menstrual – uma dor que parece que tão te espremendo, das costas pra dentro, nas pernas, barriga, esfincter, tudo dói! Dava vontade de fazer xixi toda vez, pois a bexiga era apertada junto.

Essa parte de madrugada até de manhã passou bem rápido, nem senti. Ja sabia que não deveria ficar esperando que as coisas passassem logo senao ia ficar nervosa. Fiquei só “curtindo” a minha dor. Até então estava suportavel.

Lá pelas 8h da manhã desci no apartamento da minha mãe e comuniquei que estava com contrações entre 4 e 5 minutos. Minha mãe achou que deveriamos ir logo pro hospital porque ficava longe de casa. Mas eu tive dúvidas se iria pois não tinha chegado os 3 em 3 minutos. Tinha medo de eles me mandarem pra casa de volta. Mandei um whatsapp pra minha obstetra informando o tempo, e ela disse que eu poderia ir pro hospital se quisesse, que eles não me mandariam embora, no máximo me fariam esperar. Ela me orientou comer alguma coisa antes de ir e ir com calma que eles avisariam ela de lá, caso eu estivesse mesmo em trabalho de parto. O trabalho de parto é considerado por eles se tiver pelo menos 3cm de dilatação.
Minha mãe fez uma canja com batata bem rápido e comi isso batido, achamos melhor pois eu estaria alimentada e a chance de vomitar era menor. Depois disso fomos pra maternidade. Cheguei na maternidade as 11h, falei na recepção da emergência que estava em trabalho de parto e me deixaram subir direto, enquanto meu namorido tocava a papelada.

Cheguei la na maternidade, e informei das contrações, e me deixaram aguardando na sala de espera por uns 20 minutos. Nesse meio tempo vinham as contrações, mas ainda suportáveis. Então me chamaram para avaliação, e em uma outra sala uma médica avaliou os batimentos cardíacos do bebê, e fez o exame de toque, e pasmem – eu já estava de 4 para 5cm de dilatação! Fiquei super feliz! Na hora ela falou – É, vamos te internar. Ela me informou que faria uma manobra junto ao exame de toque para acelerar o parto, acho que foi o descolamento de membranas mas não tenho certeza, só senti ela “fuçando” lá dentro e doeu um pouco. As dores aumentaram mesmo depois disso.
Logo em seguida fui internada e fiquei numa sala onde o parto aconteceria, com tv e banheiro (sem banheira nem chuveiro). Os procedimentos seguintes foram: coloquei o “uniforme” de paciente da cor branca, pegaram o acesso da minha veia na mão esquerda (as veias estavam tão dilatadas que espirrou sangue quando furaram e manchou a cama de sangue rsrsrs) e colocaram buscopan para ajudar nas dores (obviamente não ajudou em nada), e ligaram para a minha obstetra para chama-la (fiz questão de pedir que trouxesse logo o anestesista junto hehehe). O horario oficial de internação e início do trabalho de parto foi 12h.

Nisso ficamos eu e meu namorado por 2,5 horas esperando a obstetra que estava demorando. Fiquei caminhando pela sala, me agachando quando vinha as contrações, indo no banheiro, e volta e meia entrava alguem na sala para ver como eu estava. Chegamos a ligar 2x para a obstetra perguntando se ela vinha hahaha. A última vez que ligamos já estavamos preocupados pois as contrações ja estavam vindo de 2 em 2 minutos (eu li que o bebe nasce quando tiver de 1 em 1 minuto). Nessa hora a dor estava BEMM forte. Quase insuportável, eu diria. Mas continuei com as minhas “técnicas”, que estavam cada vez mais difíceis. Nessa hora, era impossível não se acocorar quando vinha a contração. Não tinha outra posição possível!

Quando a obstetra chegou, ela foi arrumando as coisas e me deu uma bola de ginástica para sentar enquanto ela agilizava as coisas. E olha, essa bola faz milagres! Durante uns 10 minutos que sentei nessa bola (e meu namorido massageou forte a lombar), quase não senti dor. Não sei que poder essa bola tem, mas parece algo de “encaixe” do quadril. Engraçado era que eu conseguia falar e sorrir pras pessoas entre as contrações, e não gritava nem nada, então eles tavam achando que eu não estava com tanta contração.

Aí, tive que ir para a cama para fazer o exame de toque, e já estava com 6cm!! Yeey! Que felicidade! Nessa altura as contrações estavam doendo MUITO MESMO! Parecia que estavam enfiando uma vassoura em mim (kkk sorry pela bagaceirice, mas era essa a sensação). Logo veio o anestesista e aplicou a anestesia nas minhas costas. Doeu um pouco, mas tudo bem. Anestesia é VIDA gente! 

Peçam anestesia SEMPRE! Minha vida ficou tão fácil naquele momento rsrs. Além disso, colocaram ocitocina na minha veia, pois com a anestesia o corpo diminuia as contrações. Tudo bem, pois eu não estava sentindo nada mesmo haha. O interessante é que achei que não ia sentir as pernas, mas sentia! Sentia um formigamento forte da cintura para baixo, mas podia mexer as pernas. E não sentia dor, só o aperto das contrações. Mas logo as contrações diminuíram, e eu ainda estava com 6cm.

A bolsa ainda não tinha estourado, então a obstetra me disse que ia furar a bolsa para que a cabeça do bebe encaixasse e pressionasse o colo do útero, o que aumentaria a dilatação. Ela veio com uma “comadre” e um “espeto” específico para isso e colocou embaixo do bumbum, e furou a bolsa cuidadosamente, nem senti nada! Saiu só um pouquinho de água, e eu achando que ia sair uma enxurrada! Mas a cabeça do bebê serviu literalmente como uma “rolha”, mantendo o resto do líquido amniótico la dentro.

Colocaram o MAP na minha barriga para medir as contrações, no início elas diminuíram, mas logo aumentaram bastante. De 0 ia até 120, fiquei até com medo de sentir a dor dessas contrações tão fortes. Fiquei um bom tempo assim, sentadinha na cama encostada, assistindo tv (vendo A Usurpadora hahahah), e mandando mensagem por whastapp e instagram pras amigas. Foi super tranquilo essa parte. Após uma hora, a anestesia diminuiu o efeito dela, e eles aumentaram um pouco a dose, e também aumentaram a ocitocina. Depois de 2h de anestesia, as contrações já estavam vindo de 1 em 1 minuto, e as dores voltaram aos poucos. Pedi uma dose maior mas eles ficaram me enrolando pra dar. Após uma contração BEM forte, pedi que me dessem mais anestesia pois realmente estava forte. Minha obstetra entrou na sala e me viu agarrada na grade da cama e falou: “agora eu acredito que tu está com dor hehe”. Antes de decidir me dar mais anestesia ela fez o exame de toque e falou: 10cm!! Não iam mais colocar anestesia.

Nossa gente, que sensação louca! A sala que estava até então só nós dois, enchei de gente: o anestesista, a obstetra, 3 enfermeiras, 1 pediatra, etc. Arrumaram as coisas, subiram o encosto da cama, tiraram uma parte de baixo da cama (para o bumbum ficar bem na ponta, onde tinha uma bacia embaixo), subiram os apoios para os pés (eram realmente apoios para os pés, e não aqueles “seguradores” de metal para as canelas), e também umas alças na lateral da cama para que eu pudesse praticar o puxo.

Aí, ela falou o seguinte: “Quando vier a contração, você primeiro respira fundo, e empurra beeeem comprido, força de cocô, e é bem importante continuar empurrando senão ela volta, o mais comprido possível. Vamos fazer um de treino pra ver.” Aí veio a contração e eu fiz o que ela falou, me concentrei o maximo para que empurrasse de forma certa pra empurrar o bebê. E não é que fiz super certo? Falaram “Nossa! Perfeito! Que força ótima, continua assim!”. E em 5 minutos vieram mais 4 contrações, e nessas 4 contrações eu empurrei, e logo ela saiu! Super rápido mesmo! Saiu a cabeça, saiu o corpinho, e em 5 minutos ela nasceu! A obstetra até colocou bastante vaselina quando estava saindo a cabeça, para evitar laceração, mas mesmo assim tive laceração. Acho que empurrei rápido demais. O que importa é que eu nem senti!

Ela foi logo colocada no meu colo, toda sujinha mesmo, mas a sensação era tão boa! Quentinha e rosinha, com a pele bem macia, minha filha estava ali, chorando no meu colo. Falei com ela e beijei seu rosto e ela parou de chorar. Me parabenizaram pelo ótimo parto que tive, e a minha obstetra até falou “quando eu crescer quero ter um parto como o teu” haha. O papai cortou o cordão umbilical.
Após um tempinho, a Olivia foi levada junto com o papai para ser limpa, e levar a vacina, enquanto isso eu fiquei levando os pontos e sendo limpa. Logo a Olivia voltou enrolada em um pano, e colocaram ela para mamar direto. Obs.: durante o parto a cada contração saia muito colostro do peito. Dizem que é ótimo o bebê mamar na primeira hora do parto, o colostro.

Após isso, fui levada em uma maca para a sala de recuperação, e a Olivia foi trazida junto a mim, e ficou mamando desajeitadamente (nem eu nem ela sabiamos como fazer isso ainda). Fiquei lá por 4 horas até ser levada para o nosso quarto. E o resto eu conto em outro momento, no post de pós parto, pois esse ficou muuuito grande!

Beijos!
quarta-feira, 15 de abril de 2015

Olívia Nasceu! Update Rápido

É isso aí, após muitos dias sem postar nada, eis aqui uma atualização: nasceu dia 30 de Março de 2015, às 17:50, minha filha Olivia, de Parto Normal, sem episiotomia (mas com laceração, conto em outro post), mas tudo certo, bem tranquilo! Vou fazer um post com video só do relato do parto, ta bom?

Segue um breve update pra vocês no video abaixo:


É isso gente, vou escrever mais coisas em outros posts, tenho refletido muito sobre minha nova vida, e pensando em como vou me organizar daqui pra frente.

Vamos lá, começando uma vida nova.
Beijos!
Related Posts with Thumbnails

Search

Carregando...

Quem Sou Eu?

Receber atualizações do blog por e-mail:

Seguir com Bloglovin

Follow My Cherry World

Seguidores